PRERROGATIVAS, UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA!

MATO GROSSO

Newsletter


Ir para opção de Cancelamento

Agenda de Eventos

Dezembro de 2019 | Ver mais
D S T Q Q S S
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 # # # #

Notícia | mais notícias

OAB-MT apresenta parecer contrário ao aumento de custas judiciais no Estado

27/11/2019 17:40 | Projeto de Lei
Foto da Notícia: OAB-MT apresenta parecer contrário ao aumento de custas judiciais no Estado

   img A convite da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), Leonardo Campos, participou da reunião ordinária que discutiu o Projeto de Lei nº 1172/2019 que trata do aumento das custas judiciais no Estado.

    “Em nossa visão, esta proposta pode excluir do acesso à Justiça o meio da pirâmide - a classe média. Corre-se o risco de  somente os ricos ou os beneficiários da Justiça gratuita poderem  acessá-la”, explicou o presidente da OAB-MT.

    Isso porque, de acordo com ele, cerca de 89% dos usuários do Poder Judiciário de Mato Grosso usufruem da gratuidade. Além disso, aproximadamente 80% da demanda em trâmite no Tribunal de Justiça de Mato Grosso é originária da Fazenda Pública. Apesar do Código de Processo Civil permitir o parcelamento, em até seis vezes, das custas judiciais, a tabela torna inviável para aqueles que não sejam beneficiários, na forma da lei, da Justiça Gratuita, ou muito ricos, acessar a Justiça.

    Conforme a tabela proposta no projeto, para se dar entrada numa causa de valor estimado em R$ 500 mil – equivalente a imóvel financiado, por exemplo -, o cidadão precisaria desembolsar aproximadamente R$ 25 mil num processo, entre primeira e segunda instância, ainda que seja para contestar a falta da entrega.

    Leonardo Campos ainda destacou que os efeitos da proposta não atingem apenas a população de Mato Grosso, mas de todo o país, em razão do potencial do agronegócio mato-grossense.

    A OAB-MT reconhece que não há aumento das custas judiciais há dez anos, no entanto, os valores sofreram reajustes em 2018 e, diante do decreto de calamidade vigente no Estado, torna-se, portanto, inoportuna a majoração das custas neste momento.

    Os recursos referentes a essa arrecadação compõem o Fundo de Apoio ao Judiciário de Mato Grosso (Funajuris) e não são destinados a folha de pagamento, mas sim a investimentos estruturais, como reforma e construção de fóruns, entre outros.

    Integrantes da CCJ, o presidente Dilmar dal Bosco; o relator do projeto na comissão, Silvio Fávero; e os deputados Lúdio Cabral, Sebastião Rezende e Dr. Eugênio agradeceram a explicação da OAB-MT que, segundo os parlamentares, enriqueceu bastante o debate sobre o tema.

    Também participaram da reunião o secretário-geral adjunto da OAB-MT, Fernando Figueiredo, e o ex-presidente Renato Nery.

Assessoria de Imprensa OAB-MT
imprensaoabmt@gmail.com
(65) 3613-0929
www.twitter.com.br/oabmt
www.facebook.com.br/oabmatogrosso


Facebook Facebook Messenger Google+ LinkedIn Telegram Twitter WhatsApp